PROJETO: CONTADORAS DE HISTÓRIAS

Texto por: Fernanda Xavier | Profª Gerenciadora da STE São José

ESCOLA ESTADUAL SÃO JOSÉ

Escola Salesiana conveniada com a Secretaria de Estado de Educação de Mato Grosso do Sul

Direção escolar: Fabiana Muniz do Carmo

Coordenador pedagógico: José Rone Rabelo da Silva

Assessora Pedagógica: Vanja Regina Chauke Alves Sanches

Professoras responsáveis: Nereci Silva Daré Monteiro e Fabiana Santana

Turmas envolvidas: 1º, 2º, 3º, 4º e 5º anos.

Turno: matutino

ANO : 2016

PROJETO: CONTADORAS DE HISTÓRIAS

Contar histórias é um precioso auxílio à prática pedagógica de professores nos anos iniciais do Ensino Fundamental, pois instiga á imaginação, á criatividade, á oralidade, incentiva o gosto pela leitura, contribui na formação da personalidade da criança envolvendo o social e o afetivo.

A principal função da escola, que é de formar sujeitos sociais, implica garantir uma ação educacional voltada para o desenvolvimento da competência comunicativa do aluno, da sua capacidade de interpretar e produzir, para que ele se torne capaz de ler e pronunciar o mundo.  Para tanto, é imprescindível que a ação pedagógica se desenvolva segundo uma prática que contemple a utilização de uma metodologia de leitura diversificada.

Objetivo Geral: Aproximar a criança do universo letrado; estimulando leitura em livro impresso.

Objetivos específicos: Ampliar repertórios, aprender os diversos gêneros literários; desenvolver a imaginação, a capacidade de ouvir o outro e de se expressar; ajudar a melhorar a comunicação, atenção, iniciativa e, principalmente, a segurança.

Metodologia:

1º passo: escolher uma história para ser contada quinzenalmente; fazer culminância com as matérias em sala de aula, por exemplo, a língua portuguesa, a matemática, as ciências, a história, os direitos humanos, etc.. Além de explorar os aspectos lúdicos ao máximo em cada conto ou texto escolhido.

2º passo: estimular a conscientização moral da história com trabalhos em sala de aula. É muito importante a criatividade para o trabalho semanal ou quinzenal, do contrário tornará cansativo e sem significado.

Procedimentos

1º momento: a professora fantasiada com a principal personagem interage com as crianças por meio de sacos, caixas e fantoches.

2º momento: Instigar e causar curiosidade é fundamental para o despertar dos meninos e meninas. Associar a história contada ao vídeo, assim farão paralelo da semelhança ou não da história contada.

3º momento: apresentar o livro escolhido estimulando a vontade de ler para conferir a história, montar grupinhos de teatros com pessoas convidadas, como outros professores, alunos de séries maiores são bons atrativos.

Avaliação da aprendizagem

Aspectos que serão observados na avaliação da aprendizagem.

  • Desde o início do projeto, entram como quesitos de avaliação:
  • Participação e envolvimento dos professores e alunos nas atividades;
  • Interação entre os elementos do grupo;
  • Para que se faça uma avaliação efetiva, a observância sobre o comportamento do aluno em relação à leitura é imprescindível. Um bom termômetro é quando elas começam a pedir para ter momentos de leitura, deixam explícitos quais são os títulos prediletos, comentam e passam a frequentar a biblioteca.
  • Importante verificar se a turma tem comportamento de leitor no manuseio das obras e na postura para escutá-los.
  • Quanto à avaliação do professor mediante este projeto, se dará a partir dos resultados obtidos em sala de aula, como o favorecimento das condições para que as crianças leiam mais e busquem maior interação com o universo dos livros, e, também, nas relações intra e interpessoais, que gerenciam a construção do processo de ensino-aprendizagem.

Resultados esperados

Espera-se que o ato de contar histórias atue de forma imprescindível na realização de atividades em sala dos professores regentes, não importando o componente, desde que bem planejado pelo professor. Além disso, almeja que os alunos ao ouvirem as histórias contadas compreendam o foco de ensinamentos, isto é, a moral da história, além de atuar na formação de leitor e futuro cidadão.

Referências

FREIRE, Paulo. A importância do ato de ler. São Paulo: Cortez, 198

GERALDI, João Wanderley. A leitura na sala de aula: as muitas faces de um leitor. Série Idéias n.5. São Paulo: FDE, 1988.

ZILBERMAN, Regina. LAJOLO, Marisa. A formação da leitura no Brasil. São Paulo: Ática,1996.

Galeria de fotos de trabalhos já realizados