DIA DA CONSCIÊNCIA NEGRA

Texto por: Ir. Terezinha dos Santos | FMA

Empolgados com a recém-inaugurada sede da Associação de Moradores e a Usina de açúcar, os remanescentes quilombolas de Furnas do Dionísio festejaram solenemente o dia da Consciência Negra, no   domingo 19/11.

Durante a semana, um mutirão de preparativos: organizar, ornamentar, providenciar alimentos, som, a liturgia.

A diretoria da Associação de Moradores, representada pelo Sr. Osvair Ferreira da Silva, sintetizou a história de desafios e superação, desde a chegada do fundador e primeiro morador das Furnas – Dionísio Vieira Martins, por volta de 1890, até às conquistas e parcerias de hoje.

Iniciou-se a programação com a Missa, celebrada pelo Pe. Ubahara, que destacou em sua homilia a importância de se valorizar os próprios talentos e dessa forma contribuir com a coletividade.

A surpresa do dia ficou por conta do Ministério da Música Psalmos, da Igreja Nossa Senhora das Graças, Moreninha 2. O grupo de jovens emocionou os presentes, encenando com gestos e coreografia, a situação de uma jovem escravizada pelas seduções da sociedade atual: luxo, ganância, drogas, bebidas, ilusões… Porém, com a ajuda dos amigos e as mensagens de fé e amor de Jesus Cristo, a jovem fortalecida e convicta, abandona tudo e celebra seu encontro com o Senhor.

A programação continuou com o almoço oferecido pelo vereador quilombola Sebastião Batista, com músicas ao vivo e muita alegria ao longo do dia.

A presença de numerosos amigos, vindo de Jaraguari, Campo Grande, fazendas e sítios, com destaque especial ao prefeito, Sr. Edson Rodrigues Nogueira, prestigiou  e valorizou a comunidade negra, reforçou a importância da tradição quilombola e a riqueza da cultura de Furnas do Dionísio e suas imensas possibilidades de progresso e relevância no cenário de Mato Grosso do Sul.