Contemplando com o Papa Francisco

Texto por: Terezinha dos Santos | FMA

E a natureza como vai?

Louvado seja meu Senhor, pela natureza exuberante, obra prima de arte, saída de sua essência de pura beleza!

Laudato Si, pelas ondas de ternura que destilam cores e perfumes nas matas e florestas…

Laudato Si, pelo murmúrio das fontes e dos regatos, pelo serpentear dos rios e a orquestra das cascatas!

Louvado seja meu Senhor, pelos invisíveis seres que povoam céus e mares, pelas aves e animais que desfilam sua exuberância e vitalidade pelos continentes…

Laudato Si, meu Senhor, pela obra prima de seu amor, criado à sua imagem e semelhança. Louvado seja meu Senhor, porque em cada célula do nosso corpo, em cada pulsar do nosso coração, em cada gemido de nossa alma, há o seu divino DNA, vibrando em nós o anseio da liberdade, a energia da criatividade e o sonho infinito de amor!

E a natureza como está?

Perdoe, meu Senhor! A sua estupenda obra de arte vem sendo corroída através dos séculos… Gigantes florestas e a flora preciosa exalam fumaça, tombam enegrecidas pelo fogo ou saqueadas pela ganância…

Perdão, meu Senhor! Os borbulhantes regatos emudeceram, as nuvens se negam a regar o nosso solo, rios e mares agonizam, vitimados pela irresponsabilidade e insensatez…

Perdão, Senhor! A vida sucumbe nas selvas, nos rios, no ar, nas cidades…

Perdoa, Senhor! A sua imagem está destorcida no olhar de crianças amedrontadas, de jovens sem sonhos, de idosos sem esperança!

Senhor Deus, recoloque-nos de novo em sintonia com o universo, ajude-nos a descobrir sua ternura nas flores, nos pássaros, no murmúrio das águas, no céu límpido…

Inunde-nos com o seu sonho de Paz e Harmonia entre os povos, ajude-nos a reconfigurar a criação, para que se possa dizer ainda hoje:

E Deus viu que tudo era bom! Laudato Si, pois Deus fez novas todas as coisas!