CAMINHOS DE VIDA

Texto por: Sônia Antunes Minder | EESJ | Coordenadora do Projeto

Com o termo “educação” não pretendemos nos referir apenas à instrução escolar ou à formação para o trabalho – ambas, causas importantes de desenvolvimento – mas à formação completa da pessoa. A este propósito, deve-se sublinhar um aspecto do problema: para educar, é preciso saber quem é a pessoa, conhecer sua natureza.

Todo ser humano nasce com um potencial e tem o direito de desenvolvê-lo. Para desenvolver o seu potencial, as pessoas precisam de oportunidades. Aquilo que uma pessoa se torna ao longo de sua vida depende das oportunidades que teve e das escolhas que fez. Ou seja, as pessoas precisam de oportunidades e ser preparadas para fazer escolhas. Mas é preciso saber decidir o rumo a seguir, que o nosso jovem, o jovem que queremos, saiba tomar decisões fundamentadas, tenha bons critérios para avaliar e decidir. É nesse momento que a educação para valores emerge diante de nós com toda sua extraordinária importância, em toda sua significação e transcendência para a pedagogia do nosso tempo e diante da realidade brasileira. Caminhos de Vida podem ser usados pelos professores de todas as disciplinas. Trata-se de um conjunto de conteúdos transversais nas áreas de ética, cidadania, meio ambiente, amizade, solidariedade, sexualidade, saúde, esportes, diversidade e complementaridade, convivência social, família. Não se trata de um estudo de ética, mas de criar espaços e condições para que as crianças e adolescentes possam vivenciar, identificar e incorporar valores positivos, práticas e vivências. O artigo 2º da LDB expressa magnificamente o compromisso de Caminhos de Vida que é a construção do jovem autônomo, solidário e competente. As práticas e vivências propostas significam um espaço pedagógico privilegiado para que os educadores e educandos possam superar as práticas discursivas e façam uma educação baseada no curso efetivo dos acontecimentos. Dessa maneira o educando torna-se fonte de iniciativa, fonte de liberdade, isto é, de responsabilidade por seus atos e as consequências deles decorrentes.

Todo corpo de colaboradores da escola se transforma em organizadores e co-criadores de acontecimentos estruturantes. Pensamos educação como criar espaços para que o educando possa empreender a construção de seu ser em termos pessoais e sociais. Entendemos o educador como um líder, um co-criador de acontecimentos estruturantes que geram valores positivos para a vida do educando. Ao passar pelos acontecimentos estruturantes, ou seja, a maneira de ver, entender, decidir e agir, o educando vai aos poucos se estruturando como pessoa, cidadão e futuro profissional.

A aplicação de Caminhos de Vida na Escola São José, no município de Campo Grande, MS, iniciou no 4º bimestre do ano de 2018, com os alunos do 2º ao 5º ano do Ensino Fundamental I. Todos os professores estiveram envolvidos na execução deste projeto que aconteceu semanalmente, para o crescimento e desenvolvimento dos alunos.