A VOCAÇÃO BROTA DO CORAÇÃO DE DEUS

Texto por: Ana Carolina Dias | IIA

Vocação - A VOCAÇÃO BROTA DO CORAÇÃO DE DEUS

O mês de agosto a Igreja dedica ás vocações.

Iniciando no dia 4 de Agosto, que é o dia o qual celebramos o sacerdócio e os ministérios ordenados, homens escolhidos por Deus e que atenderam ao chamado para serem exemplos de Cristo no mundo.

É um mês em que refletimos e rezamos a Deus pelas vocações e os ministérios, de forma a pedir para que todos os batizados “sejam fiéis como apóstolos leigos, como sacerdotes, como religiosos e religiosas, para o bem do povo de Deus e de toda a humanidade” (São João Paulo II).

Vocação é um termo derivado do verbo no latim “vocare” que significa “chamar”. É uma inclinação, uma tendência ou habilidade que leva o indivíduo a exercer uma determinada carreira ou profissão.

Em sentido mais preciso é um chamado a partir da pessoa de Jesus, que nos convida a segui-Lo. Vocação, portanto, quer dizer que anterior a nós há um chamado, uma escolha pessoal que vem de Deus, a quem seguimos com total empenho, como afirma São Paulo na Carta aos Romanos: “Eu, Paulo, servo de Jesus Cristo, apóstolo por vocação, escolhido para o Evangelho de Deus.” (Rom 1, 1)

Contudo, existem vários tipos de vocações e que podem ser religiosas ou não. Porém, as vocações religiosas, exigem um pouco mais de doação do ser humano do que qualquer outra vocação.

Os sacerdotes, as religiosas e religiosos precisam abdicar muitas vezes do convívio com a família para se dedicar unicamente ao serviço para o qual foram chamados. Porém, há dentro da Igreja os leigos consagrados. Estes por sua vez vivem sua rotina normalmente, convivem com seus familiares, amigos e exercem outras profissões que não possuem ligação com a Igreja. Entretanto, como quaisquer consagrados a Deus vivem intensamente a fé e a vida em oração.

Desde o batismo somos também chamados por Deus a sermos santos. “Sede santosporque eu sou santo.” (1 Pedro 1:16). Na Exortação Apostólica Gaudete et Exsultate, o Papa Francisco indica como podemos atender o chamado de Deus e sermos verdadeiramente santos no mundo atual: “perseverança, paciência e mansidão”, “alegria e senso de humor”, “audácia e fervor”. O caminho da santidade vivido como caminho “em comunidade” e “em constante oração”, é o caminho para bem vivermos nossa vocação, independentemente de qual seja.

Em determinado trecho do Documento redigido pelo Papa, ele diz que a santidade está presente em tarefas simples do nosso dia a dia, como por exemplo:

Aqueles que são chamados a paternidade e que educam seus filhos com tanto amor, nos doentes que não perdem a fé e a esperança, nas consagradas idosas que continuam a sorrir, entre tantos outros exemplos de vocações e santos que permeiam o mundo além dos muros da Igreja.

Nas palavras do sumo pontífice, toda vocação brota do coração de Deus e nunca existe para si.

“Deus nos colocou no mundo para os outros”, afirmou Dom Bosco.

Que neste mês de agosto, Deus possa suscitar em nosso meio, vocações santas e comprometidas em construir um mundo cada vez melhor para as próximas gerações.